Publicado em 21/12/2016 às 12:08 AM

Novo ministro do trabalho é a favor da legalização de indocumentados

Andrew Puzder, escolhido como ministro do trabalho pelo presidente eleito, Donald Trump, considerou a reforma migratória “a coisa certa a ser feita”

“Nós devemos implantar a reforma migratória não somente por causa da política, mas também porque é a coisa certa a ser feita”, disse Andrew Puzder, em 2013 “Nós devemos implantar a reforma migratória não somente por causa da política, mas também porque é a coisa certa a ser feita”, disse Andrew Puzder, em 2013

Andrew Puzder, escolhido como ministro do Departamento de Trabalho pelo presidente eleito, possui o histórico de defender a legalização dos imigrantes indocumentados, que contradiz com as declarações feitas por Donald Trump durante a campanha eleitoral. Em 2013, Puzder, CEO da rede CKE Restaurants Inc.,compareceu a um evento patrocinado pelo American Enterprise Institute (AEI) no qual ele descreveu a criação da possibilidade de aquisição da cidadania pelos imigrantes indocumentados como “a coisa certa a ser feita”.

Ele não somente argumentou que a reforma migratória impulsionaria a economia, mas também que se tratava de uma questão moral. “É a coisa certa a ser feita”, disse Andrew. “Esse é o país que nós somos e precisamos manter essa imagem para o mundo e os próprios Estados Unidos”.

A crítica do ministro escolhido focalizou na segurança na fronteira no projeto de lei do Partido Republicano (GOP) na ocasião. A proposta determinava dobrar o número de agentes da Patrulha da Fronteira (BP) para 40 mil.

“Como americano, não executivo, mas como americano, isso me incomoda um pouco por várias razões”, disse ele “Uma é, como republicano conservador, nós estamos tentando baixar o déficit e isso são mais US$ 40 milhões em gasto que você detestaria ver. Em segundo lugar, eu não sei quando se tornou um princípio republicano que aumentar o tamanho da intrusão do governo é uma coisa boa”.

Puzder frisou que o número de pessoas que tentam atravessar clandestinamente a fronteira caiu dramaticamente desde o pico na década de 90. Ele também escreveu um artigo para o website Político em 2013 no qual defendia a reforma migratória ampla:

“Nós devemos implantar a reforma migratória não somente por causa da política, mas também porque é a coisa certa a ser feita. O sistema atual é injusto e não funciona. Ele está prejudicando os imigrantes legais que não conseguem navegar por ele, trabalhadores indocumentados que são atraídos ao país pela possibilidade de emprego e depois são obrigados a viver nas sombras e comerciantes honestos que somente querem operar seus negócios em consistência com a lei.

Uma reforma migratória ampla deve regularizar o status da população indocumentada atual e consertar o sistema de migração legal para ajudar a prevenir a atividade ilegal no futuro, ao mesmo tempo em que oferece à economia uma mão-de-obra capaz e motivada. Ela deve incluir: Segurança efetiva na fronteira, um programa de imigração legal robusto, incluindo incentivos às pessoas altamente educadas a vir para os EUA, um programa de trabalhador temporário, a possibilidade de ajuste de status para os indocumentados agora e um alívio especial para os filhos dos imigrantes indocumentados”.

Será interessante ver se Andrew modifica ou reafirma a postura passada com relação à imigração nas próximas semanas para se alinhar mais com Trump no assunto. Além disso, há indícios de que o próprio Trump tenha “afrouxado um pouco” em pelo menos um tema que Puzder mencionou.

Fonte: Brazilian Voice