Publicado em 04/01/2017 às 06:00 PM

Gêmeos caxienses ganham bolsa de estudos em high school para jogar basquete na Florida

Irmãos Antônio e Augusto Dartora De Martini embarcaram nesta terça, dia 3

Irmãos vão fazer a high school na IMG Academy Irmãos vão fazer a high school na IMG Academy

Justamente em um momento que o basquete brasileiro atravessa uma grave crise, com sérios problemas na Confederação e deficiências na base, os irmãos gêmeos bi vitelinos Augusto e Antônio Dartora De Martini projetam um futuro promissor na meca da modalidade mundial. Aos 14 anos, os caxienses ganharam uma bolsa para estudar e treinar basquete nos Estados Unidos em uma das escolas mais conceituadas nas avaliações da liga universitária e da NBA, que monitoram talentos desde muito cedo. Os dois serão alunos da IMG Academy, em Bradenton, na Flórida, um dos centros esportivos de excelência mais badalados do mundo.

“A gente foi dois anos seguidos para os Estados Unidos no verão para treinar nas clínicas de basquete da IMG Academy, por conta própria. Aí os caras gostaram da gente, falaram para enviar vídeos dos treinos aqui no Brasil ao longo do ano e foram monitorando, até que nos ofereceram uma bolsa de estudos de 50%, percentual máximo permitido para o primeiro ano do ensino médio. Depois, se a gente for bem, podemos ganhar a bolsa integral”, detalha o ala Augusto, o mais alto dos dois, com 1m90cm.

Os irmãos se apaixonaram pelo basquete desde muito pequenos, um pouco influenciados pela mãe Talu Andréa Dartora De Martini e pelo pai André De Martini, ex-jogadores de clubes tradicionais de Caxias. “Eu joguei no Clube Juvenil e o André foi do Recreio da Juventude”, conta a mãe.

Augusto e Antônio também começaram no Juvenil. Foram treinados por Rodrigo Barbosa, hoje técnico do Caxias do Sul Basquete/Banrisul. “Eles tiveram uma grande mudança há um ano, quando nos procuraram no Grêmio Náutico União, onde eu era técnico. E, a partir daí, mudaram completamente a rotina. Primeiro, moravam em Caxias e iam três vezes por semana para Porto Alegre. Depois, foram morar lá com a mãe deles, treinavam todos os dias, seja no clube, em clínicas ou comigo de personal, e foram evoluindo cada vez mais. Então, já estão focados, e agora vão dar esse salto para os EUA”, diz Rafael Martins dos Santos, o Toca, atual treinador da seleção gaúcha sub-14 e do Clube Juvenil.

Nada parece deter o sonho dos irmãos. Determinados, tiram de letra as tentações de adolescentes. “Eles querem muito jogar basquete em alto nível. As notas no Colégio São José, em Caxias, e depois no Rosário, em Porto Alegre, sempre foram muito boas. Sabem que para fazermos o que eles querem precisam estudar muito. Então, nunca tivemos problemas com isso. Se eles saíram quatro vezes para festas no ano foi muito. E não é porque eu não deixo, eles é que não querem. A rotina de treino é exaustiva”, revela Talu.

A mãe conta que partiu deles toda essa determinação e interesse, mas ao mesmo tempo as portas foram se abrindo de forma natural: “Desde pequenos, eles viajam de férias para os Estados Unidos comigo e com o André. Aí começaram a pedir para estudar inglês, porque a gente falava e eles não. Depois, começaram a fazer clínicas de basquete em algumas escolas de lá. Até que foram na IMG Academy e se encantaram. Lá é o top do esporte na idade deles. A partir daí, tudo começou a caminhar para isso. Eles foram se desenvolvendo, as pessoas do basquete, como o Toca, foram falando bem deles e aí aconteceu. E a bolsa de 50% viabilizou esse sonho”.

A expectativa é simples como são os sonhos de todos os adolescentes: cursar a high school com êxito, entrar numa faculdade e alcançar o topo. “É muito mais fácil chegar na NBA jogando lá nos Estados Unidos desde a escola. É o nosso sonho. Para se ter uma ideia, os técnicos dos times da faculdade olham quase todos os jogos de high school e fazem monitoramento desde a nossa idade”, explica o armador Antônio, o mais baixo dos irmãos, com 1m78cm.

Fonte: Brazilian Times