Publicado em 10/03/2017 às 03:00 PM

Jovem latino cria jogo cujo objetivo é atravessar fronteira dos EUA

Jovem latino cria jogo cujo objetivo é atravessar fronteira dos EUA

Gonzalo Álvarez exibe o jogo Gonzalo Álvarez exibe o jogo

Tendo em mente a experiência de seus próprios pais, imigrantes mexicanos, o texano Gonzalo Álvarez desenvolveu um jogo de videogame que mostra os perigos que as pessoas que cruzam a fronteira entre Estados Unidos e México encaram diariamente.

Em "Borders" (Fronteiras), os jogadores devem fugir de agentes da patrulha de fronteira fortemente armados e conseguir água para sobreviver às altas temperaturas do deserto se quiserem alcançar seu objetivo de entrar nos EUA.

"Durante as últimas eleições surgiu um sentimento xenófobo e de ódio contra os imigrantes legais e ilegais. Por isso comecei a pensar na ideia de pessoas simulando a travessia da fronteira, uma maneira de colocar os jogadores na pele dos migrantes", disse à Agência Efe Álvarez.

O jovem indicou que para ele era importante que o jogo mostrasse o ponto de vista do imigrante. "Meus pais me contavam histórias de como foi difícil para eles atravessar a fronteira e chegar a este país em busca do 'sonho americano'. Falavam sobre o 'mosco', nome que os migrantes dão ao helicóptero que a patrulha de fronteira utiliza para procurá-los", explicou.

Uma das características do videogame é que cada vez que um jogador fracassa em sua tentativa de atravessar a fronteira, seu "cadáver" fica no jogo. "Quando recomeçarem o jogo vão ver que seu esqueleto ainda está ali. Atualmente temos 700 esqueletos de pessoas que jogaram, trataram atravessar a fronteira e morreram na tentativa", disse o texano, que trabalhou neste projeto durante uma semana ao lado de Jon DiGiacomo e Genaro Vallejo Reyes.

Criado com a estética dos videogames clássicos dos anos 80, "Borders" coloca o jogador, vestido de camponês e chapéu de palha, em um ambiente árido e hostil, repleto de objetos que os imigrantes deixam para trás, como roupas, mochilas e botas.

Fonte: Brazilian Times