Publicado em 17/03/2017 às 11:00 AM

Falso agente de imigração dizia para imigrantes: “Me paguem ou serão deportados”

Falso agente de imigração dizia para imigrantes: “Me paguem ou serão deportados”

Michael Ruiz se apresentava como agente do ICE Michael Ruiz se apresentava como agente do ICE

Michael Ruiz fez aos imigrantes indocumentados uma oferta que eles não podiam recusar: “pagá-lo para não ser deportado”. O problema é que Ruiz não era um oficial de imigração como ele se apresentava, mas sim um estelionatário que aplicou golpes em imigrantes arrecadando mais de US$ 200.000 antes de ser preso e enviado para a prisão em 2010. Ele cumpriu mais de seis anos, mas semanas depois de Donald Trump foi eleito, Ruiz foi colocado em liberdade e novamente agiu como antes.

Mas, agora com as ameaças de deportação de Trump, o negócio foi melhor do que nunca: em apenas seis semanas, Ruiz levantou US$70 mil de imigrantes, segundo as autoridades.

Quando Ruiz foi libertado de uma prisão federal de New Jersey, em liberdade condicional, dia 23 de setembro de 2016, ele se viu diante de um país envolto em assuntos sobre a imigração. Em meados de novembro, o estelionatário estava morando na Carolina do Sul e continuou aplicando seus velhos truques, ganhando dinheiro a um ritmo acelerado.

Dois meses depois de sua libertação, Ruiz começou a se apresentar como um oficial da lei. De acordo com as investigações, ele localizava os imigrantes por “boca a boca” e aplicava o golpe. O Departamento de Polícia de Greenville (Carolina do Sul) relatou que em janeiro, o criminoso encontrou seis imigrantes e ofereceu carteiras de motorista e a chance de se tornarem cidadãos se pagassem milhares de dólares. Mas caso não concordassem, o falso oficial os ameaçou de deportação.

Ao longo de dois meses, Ruiz extorquiu mais de US$ 70.000 dos seis imigrantes, segundo as informações da polícia. Entre seus ganhos estavam as taxas exorbitantes para a liberação dos números do Social Security, que a polícia diz serem falsos ou roubados. "O número do SS fornecido para uma vítima pertencia a um falecido, enquanto a segunda vítima recebeu um número fictício", afirmou a polícia em um mandado de prisão, acrescentando que Ruiz "ameaçava deportar as das famílias se elas não fornecessem o dinheiro".

Em janeiro, Ruiz invadiu uma loja de peças para carros, em Greenville, reclamando de uma compra. Durante a discussão ele se intitulou como oficial de um escritório de xerife.

Quando a polícia local o confrontou sobre o fato dele se apresentar como oficial de xerife, Ruiz supostamente lhes disse que era um oficial com o Departamento de Polícia de New York City que trabalhou na Times Square e deu um número de “badge” de um oficial de NYPD.

Os promotores federais chamaram Ruiz de “criminoso em série” em 2010, depois que ele se declarou culpado por se apresentar como um oficial e extorquir imigrantes de New Jersey e Florida, coagindo-os a comprar documentos falsos. Ele foi condenado a sete anos de prisão e foi solto pouco depois da eleição de Trump.

Um Tribunal Distrital na Carolina do Sul indiciou Ruiz por quatro acusações de chantagem e quatro acusações de representar fraudulentamente um oficial da lei, entre várias outras acusações. Ele está sendo mantido preso sem direito a fiança.

Fonte: Brazilian Times