Publicado em 19/03/2017 às 04:00 PM

ICE critica condado que liberou brasileiro sem informar a agência

Denner dos Santos foi o motivo de uma briga entre o departamento de imigração e as autoridades de Burlington (NJ)

O ICE realizou vários ataques na região, principalmente em cidades santuárias O ICE realizou vários ataques na região, principalmente em cidades santuárias

O Immigration and Customs Enforcement (ICE) intensificou o ataque aos governos locais que não cumprem os pedidos de detenção sob a administração do presidente Donald Trump. No final de sexta-feira (10/03), a direção da agência criticou as autoridades do Condado de Burlington (New Jersey) por liberar um brasileiro sem comunicar os agentes de imigração.

"O condado não honrou em segurar um preso para o ICE", criticou a agência.

O imigrante indocumentado, Denner Dos Santos, 22, foi preso em 16 de julho passado. Por incrível que pareça, o ICE não sabia desta prisão até pouco tempo depois que do brasileiro ser libertado da Cadeia do Condado de Burlington. Na opinião da agência, as autoridades locais deveriam mantê-lo legalmente o brasileiro até a chegada de um agente de imigração.

Dos Santos foi preso por agentes do ICE em Mount Holly, no dia 22 de fevereiro, data em que a agência descobriu que ele já havia sido preso anteriormente.

"Como uma nação, devemos proteger a integridade do nosso sistema de imigração e a deportação de imigrantes indocumentados, especialmente aqueles com registros criminais - esta é uma das principais prioridades da ICE", disse John Tsoukaris, que é um diretor de campo em Newark do Enforcement and Removal Operations (ERO). "O ICE compartilha o objetivo final do condado de proteger a segurança pública e a segurança nacional, preservando ao mesmo tempo o vínculo entre a comunidade e a polícia. Como tal, prisões de condado que não trabalham com ICE colocam as suas comunidades em risco".

Nenhuma informação foi fornecida sobre a detenção inicial de Dos Santos e sua permanência na Cadeia do Condado de Burlington. Ele permanecerá sob a custódia do ICE até que o processo de deportação comece, informou a agência.

Teoricamente, Dos Santos poderia ter sido liberado sob fiança antes que o ICE enviasse um agente até onde ele estava preso.

Às vezes, de acordo com fontes anônimas, o ICE pede, como favor, para que as agências locais mantenham um imigrante indocumentado preso até a chegada de um oficial. Isso poderia ter acontecido no caso do brasileiro, mas as autoridades não podem manter um indocumentado trancado sem autoridade legal, a menos que um pedido de custódia seja apresentado.

Em uma nota, a ACLU, uma entidade sem fins lucrativos, exigem que os pedidos de custódia do ICE não sejam obrigatórios, pois não são mandados de prisão e são caros para as comunidades estaduais e locais que são responsáveis ??por manter os imigrantes indocumentados na cadeia.

"Um pedido de retenção de ICE, é apenas isso: um pedido", afirma a ACLU. "Não há nenhuma exigência legal para um departamento local cumprir. O governo federal não tem o direito legal de forçar ninguém a segurar alguém além do tempo quando eles são elegíveis para a liberação da custódia estadual ou local”.

Várias incursões do ICE aconteceram em cidades em torno do país desde que Trump assumiu como o presidente. No mês passado, a agência reuniu quatro imigrantes guatemaltecos, com antecedentes criminais, que estavam no país ilegalmente e moravam na cidade de Trenton, uma cidade santuária.

A ICE informou a deportação de 240.255 imigrantes no ano passado. "Deste total, 174.923 foram detidos enquanto, ou pouco depois, de tentar ilegalmente no país", disse agência. "Os 65.332 restantes foram detidos já dentro dos Estados Unidos, e a grande maioria é formada por criminosos condenados".

Fonte: Brazilian Times