Publicado em 31/03/2017 às 12:30 PM

Brasileirinho de 6 anos vence concurso de colonização espacial da Nasa

Brasileirinho de 6 anos vence concurso de colonização espacial da Nasa

João Paulo na escola de programação João Paulo na escola de programação

A agência espacial dos Estados Unidos, Nasa, promoveu um concurso sobre colonização espacial e mais de 6 mil estudantes de diversas partes do mundo participaram. Entre eles estava um brasileirinho João Paulo Guerra Barrera, de apenas seis anos de idade, que ganhou o prêmio na categoria mérito literário.

Com o título de Nasa Ames Space Settlement Contest o concurso é realizado todos os anos desde 1994 e é coordenado pelo Centro Ames de Pesquisa, um órgão da agência com sede na Califórnia.

O concurso é aberto a alunos de todo o mundo que tenham até 18 anos e cursam o ensino médio e fundamental. Os participantes disputam em diversas categorias distintas, por idade, e além do prêmio principal, tem os prêmios de méritos literários e artísticos.

João Paulo é natural de São Paulo e está adiantado dois anos na escola (já cursa o terceiro ano do fundamental). Ele venceu em uma das categorias que combinava competidores de todas as idades. No final, o brasileirinho ficou empatado tecnicamente com Nanitha Varma, da Índia. A menina escreveu um poema chamado “My Quest” e ele um jogo de computador, Sonic World Space Settlement. A escrita foi baseada em um livro bilíngue escrito por ele no passado.

“Foi ele quem escreveu o livro, o jogo, e quem fez a programação sozinho”, conta Margarida Barrera, mãe do João Paulo. Ele vai completar sete anos neste dia 31. “Eu me senti muito feliz e com vontade de passear no espaço com gravidade zero”, descreveu o jovem vencedor do concurso ao Mensageiro Sideral. E os pais arremataram: “Felicidade extrema em saber que estamos no caminho certo em oferecer para ele uma boa educação e incentivar o gosto pela leitura e pelos desafios, sempre lembrando que a melhor herança que podemos deixar para ele é a firmeza em aspirar triunfos e a capacidade de assimilar insucessos.”

No game, um trio de crianças se aventura pelo espaço construindo um foguete a partir de peças recicladas e explora os planetas do Sistema Solar.

Fonte: Brazilian Times