Publicado em 11/04/2017 às 09:00 PM

Brasileiro sai da cadeia e denuncia ao BT descaso em prisão de imigração em MA

Mais um brasileiro denuncia descaso em prisão de imigração em MA

 J.L. ajudou Luiz Phillipe (foto) que está há 40 dias na prisão J.L. ajudou Luiz Phillipe (foto) que está há 40 dias na prisão

Depois de 18 anos vivendo nos Estados Unidos e em pleno processo para se legalizar, o paulista J.L. jamais pensou que teria que passar pelo que enfrentou nas últimas duas semanas. Ele, que pediu para serem publicadas apenas as iniciais de seu nome, é casado com uma brasileira naturalizada cidadã estadunidense e foi preso no dia 28 de março por agentes do Immigration and Customs Enforcement (ICE). “Eles estavam me procurando por uma questão mal resolvida no passado, quando eu tentei aplicar em outro casamento, mas não deu certo e o caso foi arquivado”, fala. “Mesmo assim os oficiais me disseram que meu nome fica nos registros”, continua.

J.L., que trabalha na área de construção Civil, foi liberado nesta segunda-feira, dia 10, e na tarde de terça-feira conversou com a redação do Brazilian Times e relatou o descaso vivido por ele e outros imigrantes que se encontram no Immigration Detention Justice Center, em Darthmouth, no Condado de Bristol. “Eles nos dão uma comida sem sabor, ficamos em locais frios, sem nenhum auxílio”, afirma.

O brasileiro ressalta que no local tem imigrantes que estão há meses esperando serem deportados, inclusive alguns brasileiros. “Luiz Phillipe, o rapaz que o Brazilian Times noticiou que havia se entregado para a imigração também está lá”, fala ressaltando que há 40 dias ele não recebia ajuda. “Na manhã desta terça, eu liguei para o Consulado de Boston e falei com uma pessoa chamada Eder, que prontamente se comprometeu a ajudar. Ao meio dia, o Luiz me ligou e disse que o consulado entrou em contato e já estava providenciando sua documentação”, continuou.

Além de Luiz, J.L. afirma que outros brasileiros estão há bastante tempo no local à espera de uma deportação. “Eu não consigo entender porque a justiça americana segura um imigrante por tanto tempo. Se eles não querem estas pessoas no país, que agilizem a deportação, pois cada dia trancafiado em uma prisão destrói nosso psicológico e nos torna cada vez mais fraco para enfrentar a vida aqui fora”, fala.

Além dos brasileiros, J.L. cita o caso de um chinês que está preso há 120 dias, tem problemas mentais e está abandonado. Ninguém aparece no local para ajudá-la a sair ou ser deportado logo, segundo relata J.L.

Outro brasileiro que se encontra neste presídio, segundo J.L., é Acemar Damaceno, que foi preso na sexta-feira (07), sob a acusação de porte ilegal de arma de fogo. Ele também vai enfrentar um processo de deportação.

ALERTA

O brasileiro explica que quando escutava falar das pressões do presidente Donald Trump sobre a imigração ilegal, achava que era muito alarde. Mas agora, que ele viveu quase duas semanas em um presídio lotado de imigrante, seu pensamento mudou. “Eu vi brasileiros que têm Green Card, que foram presos por violência doméstica ou DUI (dirigir embriagado), e que entrefarão processo de deportação”, fala.

J.L. alerta para que os imigrantes fiquem mais atentos, pois “a imigração não está de brincadeira”. Ele ressalta que quem cometeu crime grave deve pagar pelo que fez, mas quem tinha um sonho e estava lutado por ele, merece uma segunda chance ou ter uma deportação rápida para não sofrer na cadeia. “Este é caso de Luiz, uma pessoa humilde, honesta e sonhadora que não merece passar o que está passando”, continua.

Fonte: Brazilian Times