Publicado em 17/04/2017 às 08:00 AM

Cearenses passam em seis universidades dos Estados Unidos

No total, eles foram aprovados em 14 universidades fora do Brasil

Felipe e Victor, juntos, foram aprovados em 14 universidades estrangeiras Felipe e Victor, juntos, foram aprovados em 14 universidades estrangeiras

Quatorze é a soma da quantidade de universidades estrangeiras que dois estudantes do Ceará conseguiram aprovação. Felipe Martins, 17 anos, e Victor Benevides, 18 anos, alunos de uma escola privada de Fortaleza, ainda estão em processo de escolha de quais instituições pretendem estudar.

Conforme o coordenador da turma ITA / IME da Organização Educacional Farias Brito, Teixeira Júnior, Felipe teve aprovação em seis universidades dos Estados Unidos, são elas: Columbia University, Cornell University, University California, em Los Angeles, University of Chicago, Universidade da Califórnia, em Santa Bárbara, e University of Illinois at Urbana-Champaign; Benevides, como é conhecido na escola onde os dois estudaram no ensino médio, passou em oito, seis americanas e duas no Reino Unido, são elas: Durham University, Florida Institute, Fordham University, King’s College London, Seton Hall University, The University of Manchester, University of Evansville e Utica College.

“O colégio em que eles estudam oferece mais de 50 projetos. Estes aprovados trabalharam na produção de alguns desses trabalhos. Estes trabalhos permitem que nossos alunos possam promover uma melhoria da comunidade. O processo de avaliação de instituições leva em consideração a qualidade do aluno, a credibilidade do colégio em que eles são oriundos, quais os projetos desenvolvidos pelo colégio...”, informou o professor, responsável pela comunicação dos alunos a instituições de ensino de outros países.

Estudantes do Ceará no MIT

No dia 14 de março, outros dois estudantes, residentes no Ceará, foram destaques em instituições de ensino do exterior. De quatro brasileiros que foram aprovados no Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), nos Estados Unidos, metade deles é de escolas de Fortaleza. Dayanne Rolim, 17 anos, e Rogério A. Guimarães, 18 anos, foram os selecionados.

Do Crato, de viagem a Fortaleza aos 14 anos de idade, Dayanne foi a única cearense a conseguir vaga na instituição. Conforme o coordenador, a jovem teve a oportunidade de estudar na Capital cearense ao se destacar em olimpíadas estudantis em sua cidade de origem.

“Por causa do destaque acadêmico de Dayanne, o colégio deu uma bolsa de estudos e de assistência à aluna. Depois que ela conquistou inúmeros resultados, ela mesmo percebeu que poderia dar um salto maior. Ela foi estimulada pelo Rogério, um dos seus amigos mais próximos, a submeter o processo de aplicação nas universidades do exterior”, afirma o coordenador. A estudante também passou em Duke University, nos Estados Unidos.

Rogério Júnior, como é conhecido pelos colegas de turma, tem uma história de vida similar a de Dayanne. De Teresina, no Piauí, o jovem saiu de sua terra aos 15 anos. Ao saber de sua aprovação, o estudante teve uma mistura de sensações: feliz e alívio por sua aprovação. A poucos dias de saber do resultado de sua vaga no MIT, teve seu pedido para entrar em outra instituição do exterior negado.

"Foi em incrível, né?! Assim que recebi o resultado, soltei o celular e deu um grito... Quando liguei para meus pais, senti a voz do meu pai tremendo. Eu disse: ‘Pai, tá aqui. Depois de tudo que vocês fizeram por mim, deu tudo certo’... Foi incrível! Já quero chegar lá e ver o que a universidade tem a oferecer”, aguarda o jovem.

Ex-aluno de turmas especiais da escola, Júnior sempre esteve focado em Olimpíadas escolares. Rogério tem em sua totalidade, cerca de 25 medalhas de destaque.

Prata na Olimpíada Internacional de Informática, Ouro na Ibero-Americana de Informática, Ouro nas Olimpíadas nacionais de Matemática, Física, Robótica, Astronomia e Informática. Medalha de prata na Olimpíada nacional de Química, dentre outras. São tantas que nem o estudante consegue lembrar todas as honras. Rogério também foi selecionado em três outras instituições do exterior: uma no Canadá e outras duas nos Estados Unidos: British Columbia, Harvey Mudd College e Stanford.Mas seus sonhos estão no Instituto de Tecnologia de Massachusetts. Em agosto, ele viaja ao país. As aulas começam em setembro. Dayanne também viaja neste período.

Fonte: Brazilian Times