Publicado em 19/04/2017 às 09:00 AM

Prisões de indocumentados sem registros criminais bate recorde em governo Trump

Prisões de indocumentados sem registros criminais bate recorde em governo Trump

ICE dobrou prisões de imigrantes sem registros criminais ICE dobrou prisões de imigrantes sem registros criminais

As autoridades do Immigration and Customs Enforcement (ICE) dobraram o número de imigrantes indocumentados sem nenhum registro criminal preso durante os primeiros meses de mandato do presidente Donald Trump.

“Como o secretário (Segurança Interna), John F. Kelly, deixou claro, o ICE deixará de isentar classes ou categorias de imigrantes em potencial de deportação”, disse a porta-voz da agência de imigração, Jennifer Elzea, em um comunicado.

Além de cercar imigrantes em abrigos ou aqueles que buscam ajuda como vítimas de violência doméstica, o ICE também prendeu indocumentados sem registros criminais em um número de prisões sem precedentes.

O ICE aumentou em 32,6% o número total de detenções de imigrantes indocumentados nas primeiras semanas da administração Trump se comparado ao mesmo período, no ano passado, de acordo com relatórios divulgados pelo jornal The Washington Post. Este montante de 21.362 detidos desde meados de janeiros a março de 2017, é maior do que os 16.104 no mesmo período em 2016.

Dentro deste grupo, houve um aumento significativo em imigrantes sem qualquer antecedente criminal, com o dobro de prisões, totalizando 5.441.

Também vale a pena ressaltar que o número de detenções de imigrantes indocumentados de Trump é insignificante comparado ao realizado pelo presidente Barack Obama em 2014, quando 29.238 indocumentados foram presos.

A preocupação com a repressão aos imigrantes indocumentados é que, ao ficar os indivíduos que vão para os tribunais, o ICE está desestimulando as vítimas de abuso doméstico de relatar os crimes cometidos contra elas. Isso inclui casos como o de Irvin Gonzalez, uma mulher transgênera, que em fevereiro que foi presa em um tribunal enquanto obtinha uma ordem de proteção contra um ex-namorado abusivo.

Fonte: Brazilian Times