Publicado em 19/04/2017 às 04:30 PM

Brasileiro acusado de estupro pode pegar até 25 anos de prisão

A audiência preliminar de Rafael Schincariol, morador em Washington-DC, está marcada para dia 27, em Louisiana

Rafael pagou a fiança de US$ 25 mil e foi liberado Rafael pagou a fiança de US$ 25 mil e foi liberado

O palestrante brasileiro Rafael Schincariol, de 34 anos, que enfrenta a acusação de estupro em 3º deverá retornar na quinta-feira (27) ao tribunal na Louisiana para audiência preliminar. Caso seja considerado culpado, ele poderá ser condenado a até 25 anos de prisão por supostamente abusar sexualmente de uma universitária embriagada que assistiu uma de suas palestras na Universidade Tulane, em Nova Orleans. O ataque teria sido flagrado pelo namorado da vítima, no apartamento em que o casal mora, quando ele retornou do trabalho às 6 horas da manhã.

Entenda o caso:

No mandado de prisão assinado pela detetive Cláudia Bruce, do New Orleans Sex Crimes, a vítima relatou que não conhecia Schincariol, mas que concordou em mostrar a cidade a ele a pedido do conselheiro acadêmico da estudante, segundo os jornais Times-Picayne e NY Post. Um porta-voz da universidade disse que o acusado, especializado em Direito, discursou para 2 turmas em 9 de fevereiro e realizou uma palestra com convidados em 10 de fevereiro, intitulada “Mobilizações de Jovens, Artistas e Coletivos no Brasil”.

O brasileiro teria se juntado à vítima e dois amigos para jantar na noite de 11 de fevereiro, antes que o grupo passasse por diversos bares na Frenchman Street, uma área boêmia em Nova Orleans. A jovem relatou à polícia que o grupo foi a vários bares, incluindo o Appel Barrel, em Faubourg Marigny, onde ela percebeu que havia bebido demais para dirigir, então, Schincariol teria oferecido a estudante e os amigos uma carona para casa. Aproximadamente, às 2 e meia da madrugada, a estudante enviou uma mensagem de texto ao namorado, que ainda estava no trabalho, para informá-lo que ela estava sendo levada para casa pelo palestrante e que, portanto, o namorado deveria agradecer o favor.

A vítima alega que somente se recorda de sentir “muita dor” no piso da sala de estar no apartamento, na Vermillion Boulevard, e do namorado gritando com ela quando retornou do trabalho. O namorado relatou que acompanhou o indivíduo (Rafael) para fora da residência e detalhou que “o comportamento da vítima era incomum e que ela parecia estar altamente intoxicada”.

A jovem declarou que tinha não noção ou certeza do que havia passado entre ela e o brasileiro. O namorado relatou à polícia que a estudante estava “muito tonta” quando ele chegou a casa; onde viu roupas espalhadas no piso da sala da estar e uma poltrona derrubada.

Um pedido de prisão foi apresentado em 3 de março, depois que a vítima foi submetida a um “kit estupro” e apresentou à polícia uma fotografia do suspeito. O palestrante, que reside em Washington-DC, retornou a Louisiana para ser interrogado e foi preso em 30 de março sob a acusação de estupro em 3º grau. Caso seja condenado, ele enfrenta até 25 anos de detenção. O acusado foi liberado após pagar a fiança de US$ 25 mil e deverá retornar ao tribunal no dia 27.

Fonte: BV