Publicado em 08/05/2017 às 02:00 PM

Centenas de indocumentados são presos pelo ICE após infrações de trânsito

Os agentes têm prendido também estudantes, pais de cidadãos americanos que não possuem antecedentes criminais ou cometeram pequenos delitos

Fernando Victor de Alencar dirigia sem carteira de motorista e foi preso por agentes do ICE após comparecer à audiência na Corte e pagar a multa de US$ 600 Fernando Victor de Alencar dirigia sem carteira de motorista e foi preso por agentes do ICE após comparecer à audiência na Corte e pagar a multa de US$ 600

Aproximadamente, metade dos 675 imigrantes detidos em batidas migratórias realizadas em várias partes dos EUA depois que o Presidente Donald Trump assumiu o cargo não possuem antecedentes criminais e cometeram pequenas infrações de trânsito, a maioria por dirigir intoxicados (DUI), segundo dados obtidos pelo jornal The Washington Post. Na sexta-feira (28), dados obtidos através de auxiliares do Congresso revelaram o histórico dos indivíduos presos e postos em processo de deportação no início de fevereiro por agentes do Departamento de Imigração (ICE) lotados nos escritórios de Los Angeles, Chicago, Atlanta, San Antônio e Nova York.

Brasileiro é preso após infração de trânsito:

Em um caso distinto, em 24 de abril, Fernando Victor de Alencar, de 21 anos, natural de Goiânia (GO), morador em Marlborough (MA), foi detido por agentes de imigração após sair de uma audiência na Corte em New Hampshire. Em 10 de março, ele se dirigia a um compromisso na cidade de Nashua (NH), quando foi abordado pela polícia porque dirigia sem carteira de motorista. Após comparecer à audiência no tribunal e pagar a multa de US$ 600, o brasileiro foi detido por agentes do Departamento de Imigração (ICE) quando caminhava em direção ao carro em companhia da mãe, Fabiane Alencar. Ele imigrou para os EUA aos 4 anos de idade, trabalha na construção civil e é pai de dois meninos, um de 2 e outro de 6 anos.

Outros indocumentados são presos:

Duas pessoas haviam sido condenadas por homicídio, 80 por agressão física e 37 por posse de “drogas perigosas”. A maioria dos criminosos mais sérios foi destaque nos comunicados do ICE sobre as batidas. Uma considerável parte dos detidos, 163 imigrantes autuados por violações de trânsito, foi mencionada brevemente. Mais de 90% desses casos envolvem motoristas intoxicados (DUI), informou o ICE, na sexta-feira. Entre os detidos nas batidas, 177 não possuem antecedentes criminais, embora 66 tivessem acusações pendentes, a maioria por imigração ou violações de trânsito.

As batidas foram resultado da Operação Cross Check, responsável pela pequena porção dos 21.362 imigrantes que a administração Trump deteve e pôs em processo de deportação entre janeiro e meados de março. O período de 2 meses representa o aumento de 32% nas prisões com o fim de deportação em comparação com 2016. A maioria era criminosa, alega a administração atual. Entretanto, 5.441 não eram criminosos, ou seja, o dobro de imigrantes indocumentados detidos com o fim de deportação em relação ao ano passado. A administração atual divulgou os detalhes das batidas somente no início de fevereiro.

Trump disse que as ameaças à segurança pública são algumas de suas prioridades. Pouco depois de eleito, ele prometeu deportar primeiramente os criminosos perigosos dos EUA. Entretanto, críticos denunciam que os agentes do ICE têm também prendido estudantes, pais de cidadãos americanos que não possuem antecedentes criminais ou cometeram pequenos delitos.

“Isso me enfurece muito”, disse Kica Matos, porta-voz do Fair Immigration Reform, que organizou uma manifestação na segunda-feira (1) contra a política migratória de Trump. Ela detalhou que inúmeras das condenações por DUI ocorreram há vários anos e que os dados “confirmam o nosso maior medo: A administração tenta na realidade deportar tantas pessoas possíveis, independente de antecedentes criminais”.

O Presidente Barack Obama também deportou milhares de pessoas que não possuíam antecedentes criminais, mas no final da administração ele impôs regras rigorosas que priorizaram a prisão e deportação de estrangeiros criminosos.

A administração Trump informou que o atual presidente também quer priorizar a deportação de criminosos. Entretanto, as autoridades acrescentaram que qualquer pessoa em status migratório irregular nos EUA pode ser detida e deportada.

Fonte: Brazilian Voice